Meu eterno, meu infinito


Meu eterno amor que nunca vens,
Meu infinito sentimento hostil que jamais chegas,
Dar-te-ia tudo aquilo que não tens,
Sem que te apercebas.

Junto da secretária escrevo este telegrama
Mas sei que não muda nada, continuo preso,
Vivo ainda - desde sempre - num drama!
Apenas me confesso.

Estar, ser, viver, incompreendido por tudo!
Tanto estou sóbrio como me confundo,
Deste fim d'mundo!


Álvaro Machado - 14:37 - 24-03-2012

Comentários

  1. O planeta Terra vive ciclos infinitos e como nós fazemos parte dele, nós também fazemos parte desses "ciclos". Vou exemplificar para tentar se fazer entendida a teoria "Eras infinitas":
    Imagine que a vida é como uma corrida de Formula 1. Os carros ficam dando voltas infinitamente sem direito a Pitstop. Cada volta corresposde a um ciclo de mais de 4 bilhões de anos que eu chamo de Era. Cada ciclo (ou volta),uma Era.
    Em cada Era, acontecem exatamente as mesmas coisas sempre e para sempre.Você consegue me entender? Não podemos fugir pois é a lei da vida. Um dia você vai estar sentado(a) aí nesse mesmo lugar lendo esse mesmo texto e eu vou estar em algum lugar fazendo exatamente o que eu estou fazendo agora enquanto você está lendo só que em em uma Nova Era. Você está vivendo uma "Novela reprisada", só que você não lembra.Só lembramos quando há uma falha e aí acontece o que chamamos hoje de Déjà Vu " Vai dizer que você nunca teve um?

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Assim.

Desventura insensata

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante