Um vida de quases




Quase que viver é não existir para a vida.
E saber que viver é tão vão como o esforço
Enovela o desejo de continuar a lutar
- Porque nada, no mundo, pode mudar.

(Talvez leiam isto e achem ridículo resumir assim a vida.
Também eu acharia ridículo, se não fosse eu a senti-lo.
Mas, como o sinto, e tenho consciência desta insuficiência,
Escrever é tudo quanto posso ser enquanto viver.)

Quase que sentimentos equivalem a nada.
E saber que por mais que álacre se manifeste
Ou tristeza sobressaia
Eu não vou poder sentir em pleno nenhum deles...

Álvaro Machado – 20:27 – 20-05-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil