Eu consciente


todo eu sou completo.
fogo indeterminado, mas convicto.
incoerente, mas onírico.
em dor, mas em existência.
calado, mas em erupção.
o lado sozinho é então frio.
alarga a consciência, ramifica-a
por todos os recônditos lugares sombrios...
acerca de silêncio, e por dentro o corpo grita
com uma revolta cismática!
eu sou assim.

Álvaro Machado - 01:51 - 08-09-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão