Instância de poeta


Morrer lentamente
Mais dor impregnada
O é que a morte de repente
Que nem chega a ser interceptada.

A solidão onde à volta desvasta,
A consciência do estar só, num ir lentamente,
Em um sentimento contrasta
Para o que tanto sente...

Vida breve, e sem amor próprio
Nos precipitámos para o abismo...
Nunca no meu divagar pareço sóbrio
-antes pertenço ao profundo cismo!...

Álvaro Machado - 10:47 - 08-04-2015

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil