Decorrer na improvisação


Escrevo a decorrer na improvisação
Afinal de que vale planear?
Meticulosamente sem pestanejar,
Baseio a poesia na acção

Nem vale um tostão
Caminhar por entre o nevão,
Desta cidade inoportuna para viver
No decorrer do anoitecer.

Ordem dum rei antigo,
Fez-se de meu amigo,
E no final (deu voz ao povo)


Álvaro Machado - 14:55 - 24-03-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.