desabafos


soa no ar distante e frio
quase um pesar de derrota, de fracasso.
no horizonte é noite, e névoa, e as forças do universo
por mim se propagam em alta intensidade...

o que disso penso?
sobre o chão frio a morte é o que sinto mais...
mais que isso soa-me como um quase sentir,
um quase chegar sem nunca chegar...

é alto o inverno que trago ao peito
(o volante da ode marítima em meu redor gira)
mas a lei da vida, essa, não sei se a aceito.

reconforto-me, porém, com essa consciência,
desse que em mim se diz imperfeito,
de um sublime fracasso ser.

Álvaro Machado - 04:07 - 12-11-2015

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil