Ao sombrio sofrimento!


Arqueiro de todos os males
Entrai e vê-de este coração
Quebrado e de saudades
Cravado no chão

Vê-de como por cá está a chover
Sem sensação nenhuma a causar
Sensação que está prestes a morrer
Quem este queria amar..

E eu, meu coração despedaçado?
Ontem tremi, hoje não me sou.
Gelo perante essa epopeia a nado
Que em mim cedo naufragou...


Álvaro Machado - 1h41 - 16.05.2017

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Nota final

Nostálgico.