Complexo.




Falar da vida é tão complexo.
Por que haveríamos de falar dela?
Há tanto para se viver, tanto para se criar,
Tantos sonhos que nos podem mudar...

Temos o que há de melhor para desfrutar
- podemos voar, percorrer desertos, navegar mar...
viver com o sol, deitados à sombra, escutar a noite de luar
e confessar às estrelas nada...

(Ao mundo, disse Zeus, guardo receio; é tão simples vivê-lo
E tão complexo pensá-lo que inquieta estar em si.
O horizonte ilude-me porque é o espírito de alguém superior
Que nunca mostrou o seu rosto!

Olhem para si: uma margem para além do oceano inteiro!
Nunca nenhum deus soube como lhe tocar...
E, ainda assim, é tão inquietante vê-lo sem lhe tocar!
Talvez porque nos ilude e as pálpebras tremem...)

Tudo na vida é fácil de percorrer,
Difícil é saber o caminho a escolher.
Tomar no risco uma esperança
Que só o bem nos irá acontecer.

Mas não; há algo mais, que supera a compreensão,
Neste mundo em que nada consegue ser mais do que nada,
Em que tudo consegue abranger mais do que tudo,
Em que pouco é muito e muito é pouco!...

Ah! Que inquietação dos diabos! Perdoem-me!
(Viver é fácil. Basta saber o que é o horizonte.)
E, o que nos inquieta, desde sempre, é ter como certo
Que mais mundos estão por descobrir e viver neste sabe a pouco!...

Álvaro Machado – 13:00 – 20-03-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão