Companheiros




Sentai-vos a meu lado
E vamos todos sonhar
Mais do que esta noite
Está a dar.

O sonho em nós se ergue
- Por uma passagem entre mundos –
E se divide em dois lados descontínuos e alheios:

O lado esquerdo é composto
Por uma penumbra e um manto,
Tudo que lá entra de lá já não sai
E tem a orquestra de Mozart.

O lado direito é mais complexo.
É d’uma constituição longínqua e fria.
O quarto minguante tem o mar esquecido
E os navegadores derramam o seu sangue…

E o lado meu está na poesia,
Na minha vida desinteressada por vocês,
Por tudo que é tal como é
E não se pode converter ao sonho.

Sentai-vos a meu lado, companheiros da eternidade.
Vamos ser mais que a vida quis que fôssemos,
Vamos com a nossa alma sonhos erguer
E construir verdadeiras catedrais!

Álvaro Machado – 00h00 – 16-07-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante