Desvairada água


O quão desvairada vai a água..
A escorrer pelo esgoto,
Cheia de mágoa.

E a casaca que carrego,
Cheia de amargo borboto,
Estimula o ego.

Enquanto isto, vêm uma reflexão:
Quando crescemos perdemos a piada,
Mudamos a aparência - que fica desinteressada,
Perdendo a noção...

Chove: este ar, esta névoa, causa impressões
De cabisbaixo, o barbudo, vai a contemplar,
A razão da ciência falhar,
Nas suas acções.

Álvaro Machado - 21:21 - 18-04-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Assim.

Desventura insensata

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante