Estou, estás, somos


E eu... Que estou aqui no deserto,
Perdido na essência do amor,
Escaldado pelo calor abrasador,
Sentindo grande tormento!

E tu... Que estás perdida no mar,
Achada no meu ignóbil coração!
Sou um infeliz que julga amar,
Sem exactidão.

E nós... Que somos distintos,
Personalidades longínquas e vagas
Para no final virmo-nos famintos,
Por apetitosas mangas!

Álvaro Machado - 16:14 - 17-04-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.