Escuridão-mar


Têm-me levado para o fundo do mar
Onde nada reluz e a alma pede perdão...
Ficarei como esquecido no meio da escuridão
Se daqui ninguém me tirar...

Não adianta gritar.
É o fim do mar...
E até o sonho fica preso, sem se conseguir levantar,
Porque está escuro e não consegue sonhar...

(Mas... se eu soubesse do meu legado
Não seria tão forte a dor...
Se eu soubesse o que o meu eu antes tinha passado,
O fim chegaria como coisa superior...)

Cessou a maré, cessaram todos os barqueiros.
O mar que agora existe encobre-se de névoa
- E o sentimentos, as saudades, o tempo que voa,
São tudo fundos de mar sombrios...

Álvaro Machado - 19:25 - 20-12-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil