Astros


Iam, os dois, estrada fora de mãos dadas
Falando aos astros razões oriundas
Dos motivos daquela paixão.

Iam, os dois, estrada fora até que pararam.
Olhou-a indiscretamente pelo coração
E voltou-lhe costas. Distanciaram.

A carícia do gesto que vi não era real.
Entre isso havia outra coisa chamada mágoa
Bem sentida por uns, por que magoa,
E dolorosa para outros por ser surreal.

Como ela chora de abandono...
Tanta cumplicidade virtuosa
Entre si mesma e o sono
Da utopia amorosa...

Álvaro Machado - 16:04 - 02-10-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.