Lados


Há um momento em que saímos do que somos,
Pura e simplesmente fugimos da realidade
E vamos para o lado do paraíso e da felicidade
Que em outros tempos fomos.

Saímos deixando o corpo a seu belo prazer
Voltando apenas espírito e alma ao nosso ser.
Saímos caminhando pela alegria da ilusão
E nossa vontade e sonho nunca desaparecerão.

Apenas me entusiasmo contigo, alma surreal,
Por seres impossível e estranha e não sei que mais!
Como mil formas há de mundo, que é real,
Minha alma só grita de ais!

Que há ali ao fundo? A distância, o vidro, o sentimento!
Como eles separam e fogem; como eu sonho e entristeço
Acercado das névoas cansadas, choro de tanto tormento
E agarro o que foi noutro tempo que enalteço...

Álvaro Machado - 21:56 - 03-10-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.