Mundo falhado


Há tanta coisa que queremos mudar
Neste dia, ou noutro qualquer,
Por sabermos que um dia vai acabar
Aquilo que ninguém querer

Há múltiplas impressões enfraquecidas
Nessas mentes que vagueiam esquecidas
E afogam mágoas sem as ter
Pelo corpo sem querer.

O dia de hoje é tão triste que entristece
Rostos dos que assistiram àquela desgraça.
Como só sangue enchia aquela praça
Meu corpo também escurece.

Rapaz de pouca idade, à berma da estrada,
Sem voz para pedir apenas por vida...
Tudo lhe tremia - até a própria alma
Que gemia com tanta dor...

Uns tantos juntaram-se àquela vida,
Sabendo que nada por ela podiam fazer,
E choraram junto de si com tanto prazer
Que por momentos parecia criança amada.

Vida tão inútil e vã, tão cruel e egoísta!
Tira a vida a esta alma inocente
E leva-me com ele tristemente
Até que me percam a vista!

Álvaro Machado - 19:25 - 08-10-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.