Nunca mais é a ferida para sempre


Nunca mais é a ferida que dura
E se mantém ferida sem cura
Para esse nunca para sempre…

Esse é o Destino dos fracos
Que nunca levantam a cabeça, por sorte,
Não a têm, desconhecem-na.

E a dor lá continua apesar do progresso…
Ora acende, ora apaga-se; nunca é certa
E sempre estará lá…

Mas construir diálogo desconhecido,
Ao acaso talvez, sorri de alívio
Com o pesar da consciência.

Faz bem só por buscar emoção
Que é passada e presente
Nesse nunca que sempre se sente

Álvaro Machado – 14:17 – 02-10-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão