Altiva vulgar


Longe de ti, o que seria?
Próximo, o que quero ser?
Se nem existes, afinal que queria
Eu próprio te dizer?

Mulher de milhares de tantas outras!
Foste uma cólera, foste um prazer,
Se eu te contar ao amanhecer

Contar-te-ei que foste como noutras

Achada no ermo insaciável
Tu foste o mais vulgar possível
Como outras, caminhas altiva,
Por cima dos teus próprios pés!
 
Álvaro Machado - 19:53 - 22-09-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante