Oração de ateu


Desespero enquanto rezo à noite o dia de amanhã
Nas orações peço mais um dia igual para viver
Repleto de cansaço na insignificante manhã
Rezo para não-viver

Estendo-me ao comprido de cabeça erguida
Lívido do que é sonhar o divino de alma não-conseguida.
E o corpo treme, a dor continua e jaz no fim finito
O dom de sonhar ao divino que não-acredito.

Cristãos, levantai-vos. Judeus, destronai-vos. Ateus...
Religião fruto de mentes perversas o que sóis vós?
Não sei que sóis! E porque há crença em Deus?

Há em mim um sentimento ateu que não-pratico;
Há um grito de corpo e de alma enfático...
Espero que tu, Deus, te ergas sobre nós,

E leves estas almas para longe do que é mundo!
Tanto do que não-és existe por aí fora e, no fundo,
Isso não passa de sonhos humanos. Oh David,
Desce sobre esta névoa-finita sem fim...

Álvaro Machado - 19:22 - 29-09-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão