Fuga alegre




Foge a espontaneidade, foge a loucura
Que me havia acercado momentos antes.
Agora, à lua encantada só quero a frescura
Do momento que havia tido dantes

Foge-se-me por entre as mãos
Os momentos de alegria anteriores
Aos que agora, vãos,
São momentos de dores...

Sei que em breve partirei. O desgosto não finda,
A indisposição é eterna e o amor é cansativo.
Sei que o fim se aproxima por um motivo
E a última palavra espero que seja linda...

Última palavra! Quem diria que fosse assim?
Qualquer mente que, lúcida ou não,
Sinta mais e queira mais do que um fim
Tê-lo-á e acabará como mera sensação...

Mera sensação! Que caminho, este que Deus escolheu
Para mim... E agora eu caminho-o, como meu,
Ainda que nele seja tempestuoso
O fim cansado e impiedoso...

Álvaro Machado - 22:20 - 05-11-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.